Micose de Unha – Remédio, tratamento e mais

É possível detectar doenças e enfermidades em nosso organismo através do aspecto das unhas. É o caso daonicomicose – ou simplesmente a micose de unha – que consiste numa anormalidade causada por fungos, tanto nas unhas das mãos quanto dos pés. Esses micro-organismos se espalham rapidamente atingindo as três camadas da unha: a superficial, a intermédia e a profunda. Eles se alimentam da queratina, que constitui a principal estrutura molecular das unhas (cabelos humanos e dos chifres dos animais); é uma proteína insolúvel e fibrosa presente nas unhas. Sendo a queratina o alimento dos fungos, eles se proliferam com facilidade.

Micose de Unha

Micose de Unha

Essa infecção causa alterações danosas (como a deformação) para as unhas e podem variar o tipo e o grau, como a mudança da coloração natural. Doente, a unha fica esbranquiçada (leuconíquia), amarelada e até esverdeada. Caso apareça outra cor, pode ser decorrente de trauma externo, ou seja, uma pancada, ou mesmo prendendo a unha em uma porta ou entre a perna e a gaveta; unhas espessas/grossas também é sinal de micose e são popularmente conhecidas como “unhas em telha” ou “unhas de gavião”, pois ao contrário do que muita gente pensa, unhas saudáveis são aquelas flexíveis e que não sofrem lascas; o deslocamento da unha; manchas sobre ou debaixo das unhas; “unheiro”, que é um termo popular para a inflamação da pele em volta da unha, apresentando vermelhidão, inchaço e pus (líquido amarelado, opaco e viscoso, que se forma durante os processos infecciosos).

Formas de contágio

As formas mais conhecidas de contágio vêm principalmente de andar descalço em ambientes com fluxo considerável de pessoas e contato com objetos úmidos, como saunas, piscinas, banheiros, clubes, praias, entre outros locais públicos, e peças de vestuário de uso comum, como botas, luvas, calçados apertados, biquínis ou roupas úmidas usadas por muito tempo ou de terceiros (principalmente roupas de cama e banho de hotéis/motéis) etc. A contaminação também ocorre através de alicates, tesouras, lixas e instrumentos de manicures não esterilizados (limpos). É por isso que a micose é mais frequente no público feminino, por causa do hábito que as mulheres têm de frequentar salões de manicure/pedicure. Cheiro forte nas unhas também é sinal de que ela está contaminada. Quase não afetam o público infantil, pelo próprio desenvolvimento do organismo dessa fase, uma vez que o crescimento das unhas é mais rápido, não permitindo o desenvolvimento por completo dos fungos. Animais domésticos também podem transmitir os fungos aos humanos, se sua pelagem estiver contaminada.

O uso contínuo de esmaltes convencionais pode ocasionar o aparecimento de micose, diferente do que muitos pensam que não atrapalha em nada. Esses esmaltes possuem formaldeído e tolueno em suas composições e são agressivos – além de tóxicos – às unhas. Esse processo de esmaltação leva a destruição da queratina, deixando as mesmas mais susceptíveis e vulneráveis a ataques de fungos e outros micro-organismos, fragilizando-as e contribuindo para que elas fiquem mais sensíveis.

O próprio desenvolvimento do organismo da pessoa também é “porta de entrada” das micoses. Por exemplo: em casos como a má circulação do sangue, também é possível desenvolver essa enfermidade. Pessoas que sofrem com baixa imunidade (resistência natural ou adquirida de um organismo contra contaminações) também podem ser atingidas. Por isso é que se deve ter uma vida saudável e equilibrada, principalmente com uma boa alimentação. Pessoas que transpiram demais ou aquelas que exercem bastante atividade física também correm o risco de se contaminar com mais facilidade. Por isso, não se deve usar meia de tecido sintético (material similar ao original), e sim de algodão, para que possa absorver melhor a umidade.

Prevenções contra micose de unha

A micose predispõe o surgimento de outras doenças, como infecções bacterianas. Para preveni-las é necessário que haja hábitos higiênicos, como: enxugar mãos e pés muito bem, evitando a umidade neles por muito tempo; evitar o uso de calçados fechados por longo período, ou seja, ventile-os sempre que puder. Além disso, podem comprometer a raiz das unhas, causando sérios males; evite contato com locais úmidos já citados, principalmente em locais públicos (piscinas, banheiros, saunas etc.); para pessoas que mexem com terra, jardinagem e similares, evite o contato com o solo sem as devidas luvas; se uma unha estiver contaminada, evite o contato com as demais, pois pode ocorrer a transmissão de uma para outra; não utilizar produtos para a pele em excesso, pois pode ser agressivo à pele, diminuindo as defesas naturais tanto da pele quanto do organismo; limpar, lixar e cortar corretamente as unhas. Nunca tire cutículas em excesso, pois elas são proteções naturais do organismo para com a unha; não usar esmaltes “normais” durante o processo de tratamento da micose, pois eles dificultam a penetração do medicamento no local. O recomendável para estes casos é o esmalte antimicótico, uma substância/medicamento que age contra esse mal. A ação dessa solução contra os fungos causadores da micose ocorre pela associação do ácido benzoico que juntamente com o iodo (um antisséptico que impede a proliferação dos agentes infecciosos) penetra e oxida a parede celular dos fungos, impedindo que eles se alimentam da queratina das unhas. O uso desses esmaltes é feito a partir de prescrições médicas, uma vez que a pessoa pode ter reação alérgica ao determinado medicamento.

Tratamento e remédio para micose de unha

Embora algumas pessoas ainda apostem em tratamentos caseiros, como o uso de alho e o uso do produto VickVaporub (aquela pomada criada para desobstruir o nariz congestionado em caso de gripe ou resfriado, ou simplesmente, descongestionante nasal), o melhor a se fazer é consultar um dermatologista, o profissional do ramo da medicina que estuda e trata as doenças da pele e mucosas. Manicures e podólogos (médicos especialistas em estudo científico do pé, que se dedica ao exame, diagnóstico, tratamento e prevenção das doenças) podem auxiliá-lo em algumas questões, mas o diagnóstico preciso deve ser sempre feito por um dermatologista. Não siga medicamentos indicados por terceiros (vizinhos, amigos, conhecidos), pois pode dificultar em um diagnóstico correto e não ter o tratamento adequado.

O processo de cura é demorado, levando meses e até ano para que o fungo seja totalmente eliminado. Isso é decorrente das características do organismo da pessoa (cada um reage e responde de um jeito),pela dificultosa penetração do remédio na camada queratinizada e também pela resistência do fungo ao medicamento utilizado. O tratamento (que é mais demorado nas unhas dos pés do que nas mãos) pode ser através da aplicação de soluções, cremes, esmaltes – sistêmicos ou combinados – no local da infecção e até por via oral (comprimidos). A escolha dependerá do quadro clínico (tipo e grau) apresentado pelo paciente. A cura se apresentará quando a unha doente for totalmente substituída pela saudável.

Existem outras enfermidades de pele que têm sintomas bem semelhantes às das micoses. Exatamente por esta razão que se deve consultar o profissional certo para que o diagnóstico e o tratamento sejam feitos da melhor maneira e corretamente.

GD Star Rating
loading...
Micose de Unha - Remédio, tratamento e mais, 3.7 out of 5 based on 3 ratings

Publicidade

Nenhum comentário até o momento.

Deixe um comentário